Bridge

not

Mobilidade

2012-09-13 20:52:55 - Ethevaldo Siqueira

Operadora virtual para jovens

Ethevaldo Siqueira

O modelo das operadoras virtuais começa a expandir-se no Brasil, com a associação da gigante internacional Virgin Mobile Latin America (VMLA), do grupo controlado pelo bilionário Richard Branson, com a operadora brasileira de telecomunicações Datora Telecom. Com essa união, está nascendo a Virgin Mobile do Brasil.

“O foco central da nova empresa será o público jovem, que tem gosto e preferências específicos, tanto no Brasil quando no mundo”, afirma Wilson Otero, executivo-chefe da Datora. A questão central não será, portanto, competir em preços, mas, sim, na oferta de conteúdos adequados ao gosto e ao comportamento dos jovens. Nesse caso, é preciso oferecer o que eles querem e falar a linguagem deles.

Ele justifica seu otimismo com os futuros resultados da parceria com a Virgin Mobile com a expansão e o sucesso obtidos na América Latina, e deverá aportar substanciais investimentos no Brasil, a partir dessa operadora virtual. “Isso não significa que seremos simples consultores da Virgin”, diz o dirigente da Datora, “porque temos vasta experiência na integração de operadoras móveis, tanto em plataformas virtuais quanto de outras operadoras.”

A Datora Telecom já é sócia da Porto Seguro na primeira operadora virtual organizada no País, em 2011. Wilson Otero lembra que sua empresa já tem longa experiência na integração de plataformas, em especial com base na tecnologia de voz sobre protocolo IP (VoIP), que hoje oferece praticamente a mesma qualidade das tecnologias convencionais.

Otero recorda que, no caso da operadora virtual formada com a Porto Seguro, a parceira celular é a TIM. Isso não significa que, no caso da Virgin, não possam ser feitas parcerias com outras operadoras celulares brasileiras. Atualmente, a Datora e a Virgin estão tomando as decisões sobre as características da rede móvel a ser utilizada.
Que é uma MVNO?

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) regulamentou em 2011 o novo modelo de negócios das chamadas Operadoras de Redes Móveis Virtuais ou MVNOs (em inglês, Mobile Virtual Network Operators). Pela regulamentação há dois tipos de operadoras virtuais. Um deles são as credenciadas, que revendem serviços como representantes outras empresas de celular. Outro tipo são as autorizadas, que podem operar redes de terceiros ou de outras empresas de celular. As operadoras virtuais autorizadas utilizam parte da infraestrutura de outras operadoras.

O modelo das operadoras virtuais deverá expandir-se muito mais nos próximos anos. Segundo a Effortel, empresa de pesquisa belga, nos próximos dois anos, o mercado brasileiro terá de 40 a 50 operadoras móveis virtuais.

A Virgin Mobile Latin America (VMLA) busca tornar-se a principal operadora virtual móvel latino-americana, nos próximos cinco anos. Dentro de 30 dias, deverá lançar sua primeira operação no Chile e, logo em seguida, na Colômbia. No segundo semestre, deverá ter licenças aprovadas no México e no Peru.

enquete

Qual é a marca do seu Smartphone?

too Bridge

CÁLCULO DO ERRO AMOSTRAL